Campanha de Vacinação Antirrábica começa segunda-feira (08/08) em Córrego Fundo

Os proprietários de cães e gatos já podem se preparar para vacinarem seus animaizinhos de estimação. Entre os dias 8 e 27 de agosto, será realizada a Campanha de Vacinação Antirrábica canina e felina em Córrego Fundo. Haverá postos de vacinação em diversas localidades.

A vacinação anual de cães e gatos é a medida mais eficaz de prevenção da raiva nos animais e nos humanos, portanto fiquem atentos aos dias, locais e horários para vacinar o seu melhor amigo.

Nas comunidades rurais, os vacinadores visitarão os domicílios em conjunto com agentes de saúde conforme cronograma, sendo assim os cães e gatos a serem imunizados deverão ficar presos antes da chegada dos agentes para que ocorra maior agilidade do processo de vacinação.

Não poderão ser entregues vacinas para serem aplicadas nos animais de estimação pelos proprietários.

Mais informações entrar em contato com a secretaria municipal de Saúde no telefone (37) 3322-9158 ou se informar com agentes de saúde.

A doença

A vacinação tem como objetivo imunizar os animais contra a raiva, que é uma doença infecciosa viral aguda que acomete mamíferos, inclusive o homem.

Os sintomas caracterizam-se como inflamação do cérebro, com letalidade de aproximadamente 100%. Ela é transmitida ao homem pela saliva de animais infectados (cães, gatos, morcegos, bois, cavalos, porcos, macacos, etc.), principalmente por meio da mordida, podendo ser transmitida também por arranhões e/ou lambida desses animais.

Após o período de incubação do vírus, surgem os sinais e sintomas clínicos inespecíficos e nesse período o paciente apresenta mal-estar geral, pequeno aumento de temperatura, anorexia, dores intensas, náuseas, dor de garganta, fraqueza, irritabilidade, inquietude e sensação de angústia etc. Outras manifestações são de ansiedade e hiperexcitabilidade crescentes, febre, delírios, espasmos musculares involuntários, generalizados, e/ou convulsões, os espasmos dos músculos da laringe, faringe e língua ocorrem quando o paciente vê ou tenta ingerir líquido, apresentando sialorreia intensa (“hidrofobia”). Os espasmos musculares evoluem para um quadro de paralisia, levando a alterações cardiorrespiratórias, retenção urinária e obstipação intestinal.

%d blogueiros gostam disto: