Emater alerta para risco de geada no município

A Emater (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais) emitiu um comunicado, alertando sobre o risco de geada no município de Córrego Fundo. Conforme o técnico, Marcos Roberto de Souza, todos os boletins climatológicos apontam para previsão de geada de grande intensidade no município e região. Uma massa de ar polar se formou na Antártica e sobe sentido ao Sul do Brasil, devendo atingir o município entre quinta-feira, dia 29 de julho e domingo, dia 1º de agosto.

Marcos explicou que a ocorrência da geada, provocada pelo frio e outros aspectos climáticos, pode trazer graves prejuízos para plantações e criação de animais. Por isso, elencou alguns cuidados importantes que os produtores devem tomar, para evitar os possíveis danos.

Para o produtor de café, existe mais de uma orientação. No caso de pés de café com até seis meses de plantado, pode-se dobrar as mudas até que encostem no chão, e cobri-las com terra. Essas mudas podem permanecer assim por até uma semana, sem risco de morte. Ao passar o risco de geada, deve-se descobrir as mudas. Outra opção é pegar pedaços de bambu gigante, cortar ao meio, e cobrir as mudas dobradas com o bambu.

Já no caso de plantações de café com 6 meses até 2 anos, a orientação é cobrir com terra, os pés de café, até passar o risco de geada. Após o período, deve-se retirar essa terra. Dessa forma, caso a geada queime os pés de café, não haverá a necessidade de um novo replantio, podendo ser feita apenas a poda, que ele irá rebrotar.

Para os produtores de frutas e café acima de dois anos, a dica é espalhar tambores de ferro de 200 litros, com serragem e na noite dos riscos de geada, colocar fogo na serragem, para que a fumaça proteja as plantações.

Os produtores de hortaliças devem evitar transplantar mudas para a terra antes de passar o risco de geada. O ideal é mantê-las no viveiro bem protegidas por uma cobertura de plástico. Caso já tenha feito o transplantio e as mudas ainda estiverem pequenas, pode–se protegê-las com capim seco, até o risco de geada passar, depois devem ser descobertas.

O produtor de gado de leite e corte deve colocar os animais em locais onde há árvores com copas largas, bastante enfolhadas, para ajudar a proteger os animais. As pastagens que tiverem árvores vão ter menos impactos com a geada.

Ainda segundo Marcos, as áreas mais afetadas costumam ser as mais baixas. No entanto, se a geada vier na intensidade prevista, até as áreas mais altas sofrerão com os seus efeitos.

%d blogueiros gostam disto: