EMATER apoia agricultores familiares de Córrego Fundo na comercialização junto ao PNAE

Agricultores familiares de Córrego Fundo assinaram contrato para fornecimento de alimentos para a merenda escolar, de acordo com a lei nº 11.947 de 16 de junho de 2009. Do total do recurso repassado pelo FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) no âmbito do PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar), no mínimo 30% do valor, devem ser gastos, na compra de alimentos, dos agricultores familiares, dando prioridade a produtores do município. A secretaria de Educação informou que, em 2017, do valor do PNAE, foram investidos 49,32% em agricultura familiar.

De acordo com o supervisor do departamento de Agricultura, Rafael Junior Silva, a venda para o agricultor é de forma facilitada, pois o processo é feito via chamada pública, dispensando assim o processo licitatório de mais complexidade.

O técnico da EMATER (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural/MG) no município, Marcos Roberto de Souza, a empresa está presente em todas as etapas do processo, desde a assistência técnica prestada gratuitamente aos produtores, na produção, na confecção das propostas de vendas e da preparação dos documentos necessários para participar, bem como na regularização sanitária de seus produtos, para que eles possam comercializar.

Neste ano, sete produtores estão comercializando seus produtos junto ao município para abastecimento da merenda nas escolas municipais e quatro, junto à escola estadual.

Além do processo de venda ser facilitado junto ao PNAE, dando oportunidade ao pequeno produtor de participar, existe também um grande benefício que é a garantia de venda dos seus produtos, por um preço justo, comentou o técnico da EMATER. Dentre os produtos comercializados estão hortaliças em geral, goiaba, rapadura, fubá, ovos caipiras, entre outros.

“Esse programa, com o apoio da EMATER e da Prefeitura, estão mudando a nossa realidade, pois temos o apoio nos três aspectos mais importante, que é na produção, legalização dos nossos produtos e na venda, isso é tudo que precisamos”, disse o produtor rural Fideles de Faria, da comunidade rural de Córrego Fundo de Baixo.

 

%d blogueiros gostam disto: