Vigilância Sanitária de Córrego Fundo promove palestra para crianças sobre prevenção de doenças

Em abril, foi realizado pela Secretaria de Saúde, por meio do setor de Vigilância Sanitária, uma explanação e entrega de folder educativo aos grupos do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos do CRAS (Centro de Referência em Assistência Social) de Córrego Fundo sobre as doenças diarreicas. Na ocasião, foram reforçadas as medidas preventivas das doenças e planos de prevenção da desidratação que pode ser realizada no domicílio.

Segundo informações da fiscal sanitário, Brenda da Silva, a doença diarreica aguda é uma síndrome causada por diferentes agentes (bactérias, vírus e parasitas) e se caracteriza pelo aumento do número de evacuações, com fezes aquosas ou de pouca consistência, algumas vezes apresentando sangue ou muco, podendo ser acompanhada por vômitos, febre e dor abdominal, com duração de 2 a 14 dias.

Importante causa de morbimortalidade no Brasil e em países subdesenvolvidos, apresenta incidência elevada e os episódios são frequentes na infância, particularmente em áreas com precárias condições de saneamento básico.

No mundo, cerca de dois milhões de crianças morrem a cada ano nos países subdesenvolvidos em consequência de doenças diarreicas, sendo a segunda maior causa de morte em crianças com menos de cinco anos de idade.

Em países desenvolvidos a frequência de quadros diarreicos em lactentes é de apenas 0,5 a 2 episódios/ano, enquanto que nas regiões em desenvolvimento pode chegar a 10.

As diarreias representam a segunda maior causa de consultas médicas, precedida apenas pelas doenças respiratórias agudas e representam cerca de 30,0% a 40,0% das consultas ao gastroenterologista.

Contudo as doenças diarreicas podem ser prevenidas com pequenas atitudes, veja algumas delas a seguir.

Formas de prevenção

  • Atenção com a higiene das mãos (lavar as mãos com água e sabão, antes de preparar ou consumir alimentos, após urinar, defecar ou lidar com animais);
  • Cuidado com os alimentos (procurar ingerir somente alimentos cozidos, de origem conhecida e quando estiverem ainda quentes, alimentos crus devem ser lavados com água tratada antes do consumo);
  • Cuidados com a água para consumo humano (consumir somente água tratada e se necessário tratá-la com 2 gotas de hipoclorito de sódio a 2,5% para cada litro de água ou fervê-la);
  • Não consumir gelo de origem duvidosa;
  • Evitar o contato com águas de enchentes ou alagamentos.
%d blogueiros gostam disto: