Córrego Fundo promove ações de enfrentamento à Febre Amarela

Córrego Fundo se mobilizou em ações de enfrentamento à Febre Amarela. Em função da propagação da doença no país e, mais especificamente, no estado de Minas Gerais, foram realizadas no município várias ações para conter o surgimento da Febre Amarela, além de alertar a população sobre medidas preventivas. Na semana do dia 15 ao dia 20 as atividades obedeceram o cronograma de contingência para a prevenção da doença.

Além da busca ativa em domicílios dos não vacinados, houve inspeção e borrifação em vários pontos da cidade, pela equipe de endemias, no sentido de prevenir a proliferação do mosquito Aedes Aegipty que é um potencial transmissor da Febre Amarela.

O dia 20, sábado, foi dedicado à vacinação da população que não consegue ir nas unidades nos horários de atendimento de segunda a sexta-feira e também serviu para que os córrego-fundenses pudessem atualizar o cartão de vacina.

Embora o trabalho tenha sido intensificado, a secretária municipal de Saúde, Keli Silva, afirma que não há motivo para que a população se alarme. Segundo ela, o município de Córrego Fundo conta com 85% de sua população vacinada, conforme o último levantamento da secretaria. Um índice acima de todo o estado de Minas Gerais, que está com 80% da população imunizada.

Um monitoramento rápido realizado pelas equipes de saúde municipal, aponta que boa parte da população que ainda falta receber a vacina concentra-se na faixa etária acima dos 60 anos de idade.

A secretária explica que a última nota técnica da Secretaria Estadual de Saúde não autoriza vacinar a população idosa, uma vez que Córrego Fundo é considerada na classificação de risco como categoria 1, sem registro de casos suspeitos de Febre Amarela em humanos, ou morte de macacos pela doença.

“Todas as comunidades rurais, incluindo Falhas, Sobradinho, Comunheira, entre outras, receberam visita dos agentes de saúde e das equipes de enfermagem,” explicou a secretária. “Não há falta da vacina, e toda a população autorizada deve procurar uma unidade de saúde para se vacinar,” finaliza.

 

 

%d blogueiros gostam disto: