Vigilância Sanitária orienta sobre proibição de venda de lote de extrato de tomate da marca Elefante

O departamento de Vigilância Sanitária de Córrego Fundo divulgou nesta semana a proibição, pela Agência Nacional, da comercialização de um lote do extrato de tomate da marca Elefante. A medida afeta o lote L011810, cuja o prazo de validade acaba em 7 de outubro deste ano. Segundo a agência, foram encontrados pelos de roedor acima do limite tolerável. O limite de tolerância da agência reguladora é que produtos à base de tomate, como molhos, purê, polpa e extrato tenham, no máximo, um fragmento de pelo de roedor a cada 100 gramas.

A decisão levou em conta um laudo emitido pela Fundação Ezequiel Dias e ressalta que encontrou “matéria estranha indicativa de risco à saúde humana” acima do limite máximo de tolerância pela legislação. A Anvisa também determinou que a empresa promova o recolhimento do estoque existente no mercado.

Segundo a fiscal de Vigilância Sanitária do município, Elaine Cristina da Silva Cardoso, os proprietários de estabelecimentos comerciais do município deve verificar e retirar o produto deste lote de seus estoques e tomar as providências cabíveis com o fornecedor para adequação às normas sanitárias. “É também importante que os consumidores verifiquem os produtos que estão comprando e utilizando, para garantir a saúde sua e de seus familiares”.

 

%d blogueiros gostam disto: