Córrego Fundo participa do 1º Seminário Águas de Minas

Foi realizado, no dia 12 de junho, o 1º Seminário “Águas de Minas, Água para Todos”, no município de Capitólio/MG, promovido pela Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande (Ameg) e Associação dos Municípios do Lago de Furnas (Alago). Córrego Fundo participou do evento, com a presença do chefe do departamento de Agricultura, Neurimar José Pinto, e do técnico da EMATER (Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais) no município, Marcos Roberto de Souza.

O evento reuniu inúmeros municípios da região. Gestores municipais, lideranças, autoridades dos setores públicos, da iniciativa privada e da sociedade civil discutiram sobre a produção e a qualidade dos recursos hídricos da região.

Depois da apresentação de quatro palestras, foi realizada uma mesa de debates com ampla discussão sobre a importância da água em toda a cadeia produtiva dos sul e sudoeste mineiro.

Para o técnico da EMATER, este é um momento crucial da história, devido ao crescimento da população, o excesso de consumo, o desperdício, e a falta de conservação de recursos naturais. “Preocupa-nos a situação ecológica atual, especialmente após a divulgação de um relatório da ONU (Organização das Nações Unidas) apontando que até 2.030, o planeta enfrentará um déficit de água de 40%, a não ser que haja mudanças drásticas no uso, gerenciamento e conservação desse recurso tão valioso”, comentou.

Segundo os representantes do município, o evento teve como foco a discussão de propostas para a utilização e conservação desse recurso natural inclusive com a apresentação de projetos que deram certo em outras cidades no país.

Um dos projetos apresentados na ocasião foi do estado do Paraná, que conta com ações apresentando possíveis fontes de recursos para a execução dos projetos, entre as ações estão o cercamento de nascentes, construção de barraginhas, terraços, confecção de curvas de nível, e cercamento de matas ciliares.

De acordo com Neurimar e Marcos, em Córrego Fundo já existe uma consciência sobre a questão, e, neste contexto, a Prefeitura municipal e a EMATER já estão realizando ações preventivas. Em 2014, por exemplo, foram construídas de 32 barraginhas, em várias comunidades rurais do município.

Para Marcos, essas ações são de extrema importância, já que o município tem a particularidade de pertencer a duas bacias hidrográficas diferente, sendo parte da bacia do médio Rio Grande e parte da bacia do Alto São Francisco. Neurimar destacou que ações como as construções das barraginhas continuarão a ser implantadas nesse ano.

 

%d blogueiros gostam disto: