Alunas das escolas municipais assistem a palestra sobre dignidade menstrual

O tema abordado é resultado de uma Lei Municipal que trata de diminuir a chamada “pobreza menstrual” e que determina o fornecimento de absorventes higiênicos a mulheres de baixa renda e estudantes das escolas públicas municipais

No dia 14 de março, alunas das escolas municipais de Córrego Fundo “Tereza Maria de Faria Vaz” e “Rafael José Alves” receberam uma equipe multidisciplinar para tratar de orientações sobre menstruação. A ação está diretamente relacionada à Lei nº 796/2021, que estabelece diretriz para as ações de Promoção da Dignidade Menstrual no município. A iniciativa da palestra foi da secretaria de Educação, organizada pela assistente social Greicielly Ribeiro Couto e pela psicóloga Morgana Cristhianne Aparecida Lima.

Em ambas as escolas, as alunas puderam ouvir as explanações de diversas profissionais, em diferentes abordagens do tema. A enfermeira Leila Paim, coordenadora da unidade de Saúde Cristino Antônio de Faria, explicou sobre o ciclo menstrual, higiene e fez demonstração de uso do absorvente. A nutricionista Fernanda Mendonça tratou da alimentação, ressaltando o que pode auxiliar ou agravar os sintomas durante o período menstrual, bem como orientações para alimentação saudável de modo geral. Já a psicóloga, Morgana Lima, comentou sobre aspectos emocionais e psicológicos neste período da vida da mulher. A assistente social, Greicielly Couto, explicou sobre como funcionará a disponibilização dos absorventes nas escolas.

Após a palestra, foi passada uma caixinha de perguntas, para que as adolescentes pudessem fazer perguntas sem se identificarem. Segundo Greicielly, foi uma oportunidade muito importante para esclarecer temas relacionados à menstruação e sobre a saúde feminina.

Lei de Dignidade Menstrual

A lei de dignidade menstrual foi aprovada no dia 13 de setembro de 2021, de autoria do vereador Romário Costa, com o objetivo de fornecimento de absorventes higiênicos a mulheres de baixa renda e estudantes das escolas públicas municipais, bem como trabalhar para a diminuição do preconceito em relação a menstruação através de palestras e cursos nos quais o tema seja abordado como um processo natural do corpo feminino.

%d blogueiros gostam disto: